sexta-feira, 28 de novembro de 2008

O Banheiro "mala-assombrado".


Devia ser por volta das 2 da madrugada, estava eu dentro dum ônibus perto de Caruaru e a caminho de Campina Grande, como essas viagens noturnas sempre são monótonas, eu e uma amiga que também estava no ônibus decidimos comprar umas cervejinhas pra ir tomando no caminho. Após algumas doses acompanhada de amendoim minha bexiga comunicou a vontade de se fazer presente no banheiro, e lá fui eu meio tonto mas ainda sóbrio. Entro no banheiro e assim que tranco a porta vejo na minha frente alguém olhando com cara de assustado pra mim, fico nervoso me tremendo pois minha mãe disse que se eu morresse ela me matava, peço desculpa e quando tento abrir a porta não consigo, tento de todas as formas e começo a suar frio pois sempre que olho pro lado vejo alguem com o olhar fixo me secando, quando finamente consigo sair pro corredor uma dúvida surge em minha cabeça "seria realmente alguém no banheiro ou coisa da minha cabeça?" Tomo coragem e volto a abrir a porta com calma, não torno a fecha-la para não correr o risco do fantasma me pegar e me levar pra residência do capeta. Um feixe de luz entra no minúsculo banheiro clareando o ambiente vazio e fazendo com que um espelho grande aparecesse na minha frente com minha imagem refletida. Agora só entro em banheiros de ônibus na parte da manhã.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Tutorial: Como roubar galinhas.


Devido a imensa quantidade de tutoriais inúteis que vejo na internet resolvi compartilhar meus pouco conhecimentos dessa antiga arte milenar trazida pelos europeus e aprimorada pelo homem do mato. Desde a colonização há indícios de sabotagem por parte da comunidade indígena que tinha seus bípedes emplumados tomado pelos portugueses, os índios por sua vez revidavam atacando e sequestrando exemplares galináceos, não com o intuito de comer o animal mas por razões políticas. Para o sucesso da missão alguns requisitos básicos devem ser respeitados:


*Uniforme utilizado:

Para uma maior capacidade de camuflagem é recomendado a utilização de roupas escuras(caso sua experiência nao permita o roubo na presença do sol), justas(tipo ninja), botas de cano alto(para uma maior segurança na hora de correr das balas da soca-tempero e na defesa das bicadas por parte das galinhas no detector de objetos baixos no escuro(canela)).


*Equipamentos necessários:

Um bom GPS é sempre recomendado para a operação, facilita a localização do galinheiro e evita que o sabotador na pressa entre em locais perigosos(floresta com caiporas), caso isso aconteça um bom fumo e uma cachaçinha deve fazer parte do arsenal para satisfazer o ser mitológico. Alicates de jardim para cortar a grade que separa as pobres infelizes do corredor da morte, do maravilhos mundo ao seu redor. Éter é essencial pois ao se aproxima da ave é necessário ser rápido para coloca-lo num pano e por a galinha para cheirar e entrar no mundo dos sonhos impedindo seus carcarejos.


*Finalização:

O salvamento deve ser concluído com a liberdade da galinha em locais estratégicos, com água e alimentação necessária para sua sobrevivência, o ideal é que o sequestro seja em pares(um reprodutor e uma solteirona doida pra fazer um amorzinho) para garantir a companhia e perpetuação da estirpe.


Espero que esse tutorial tire as dúvidas dos iniciantes e que estes passem adiante para sua linhagem essa técnica revolucionária de libertação.

sábado, 8 de novembro de 2008

Fábula para adultos...

O Jegue e a Catenga

Era uma vez uma catenga que adorava cantar forró, andando alegremente em passos suaves e ritmados pela caatinga ao som da sua doce voz não não nota que na sua frente encontra-se um obstáculo não habitual em seu bioma, mas que por força superior surge, areia movediça. Quando percebe já encontra-se tentando segurar-se em alguma coisa ao seu redor para não afundar e padecer sem atingir a fama musical que tanto surgia em seus sonhos, grita euforicamente para a mata toda ouvir e quando acha que tudo está perdido eis que surge seu salvador,um jegue.
O animal não foi ao encontro da catenga porque escutou seus gritos, na verdade estava seguindo uma jega que estava no cio mas que por motivos de seleção sexual não queria copular com o quadrúpede pois esse apresentava o orgão reprodutor segundo ela própia " suficientimente grande para deixar feridas internas e eternas".
O jegue triste por não conseguir fazer um amorzinho ver a catenga se afogando e coloca a pata para ela segurar, não da certo, tenta com o rabo e o mesmo acontece, com as orelhas também, e resolve então colocar o pau pra catenga tentar se segurar e ela consegue! Os dois conversam, a catenga fala que tava alegre porque tinha sido convidada pra participar do programa Idolos e que por isso estava tão saltitante, fala que se caso conseguir conquistar as rádios com sua música um dia ajudaria o jegue no que ele precisasse.
Cinco anos se passam e a catenga já é a artista mais requisitada em eventos da alta sociedade e nas capas de revistas de fofocas, sua musica consquistou o Brasil. Andando em eu conversível pela mata para visitar velhos amigos ela escuta um grito e acelera para ver o que estar acontecendo, para sua supresa era seu amigo o jegue que estava se afogando na mesma areia movediça que ela há cinco anos tinha se salvado. Corre para perto da areia e tentar colocar a pata para salvar seu amigo, não dá certo, tenta o pescoço e não consegue levantar o jegue de jeito nenhum, após todas as tentativas corporais possiveis ela pega seu conversível, e coloca na areia de modo que o jegue consiga se agarrar e volta pra terra firme. Conseguida a façanha da salvação do seu velho amigo eles saem para tomar uma cachaçinha com mel e botar os papos em dia.

Moral da história: Você não precisa ter o pau grande, é só ter um carro!

PS: Há muito tempo um amigo me contou uma história semelhante, a única coisa que fiz foi transcrever mudando o ambiente e as personagens.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...